A novela Taça das Bolinhas ganhou um novo capítulo. Nesta terça-feira, o Flamengo entrou de novo no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) contra a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), pedindo liminar que a proíba de entregar a polêmica taça ao São Paulo. O Esporte News Mundo teve acesso a detalhes do caso, que corre na 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca do TJRJ, e aguarda decisão da juíza Bianca Ferreira do Amaral Machado Nigri.

Pediu o Flamengo que a CBF seja obrigada em liminar pela Justiça a ” abster-se de praticar qualquer ato que viole disposições dos Regulamentos dos Campeonatos Brasileiros de futebol masculino profissional de 2006, 2007 e 2008 – cujos respectivos artigos 6º, 7º e 5º estabeleciam que o prêmio em disputa era o troféu “CAMPEÃO BRASILEIRO”, e não o troféu “COPA BRASIL” –, até o julgamento de mérito desta demanda, sob pena de multa diária de R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais) em caso de descumprimento da determinação – limitada ao “teto” sugerido de R$ 1.000.000,00 (um milhão de reais)”.

Como argumento para o pedido de urgência em liminar, o Flamengo alegou que “a CAIXA ECONÔMICA FEDERAL foi recém intimada a devolver o troféu para que a CBF adote as “medidas cabíveis acerca do destino da TAÇA DE BOLINHAS”, sendo questão de tempo até que seja colocado em prática o posicionamento institucional ilegal da RÉ manifestado no OFÍCIO CBF N.º 587/2018, em grave violação às normas dos REGULAMENTOS dos Campeonatos Brasileiros de 2006, 2007 e 2008”.

Durante toda a argumentação apresentada desta vez ao juízo, o Flamengo busca uma ação declaratória da CBF acerca das disposições dos Regulamentos dos Campeonatos Brasileiros de futebol masculino profissional de 2006, 2007 e 2008. O clube presidido por Rodolfo Landim alega ao argumentar que isso se faz necessário para dar segurança jurídica para a questão.

O troféu em disputa dito nos regulamentos da CBF das edições do Brasileirão dos respectivos anos é a nova base da discussão jurídica. “A fim de dissipar em definitivo qualquer dúvida objetiva que ainda pudesse pairar a respeito de qual o troféu em disputa nos Campeonatos Brasileiros de futebol nos anos de 2006, 2007 e 2008”, argumentou o Flamengo em trecho da inicial.

A defesa do Flamengo colocou nos autos sobre a Taça das Bolinhas que “O troféu COPA BRASIL constitui premiação originalmente idealizada pela CAIXA ECONÔMICA FEDERAL (“CEF”) – cuja efetiva regulamentação esportiva foi delegada à RÉ – para premiar o clube campeão da primeira divisão dos Campeonatos Brasileiros de futebol organizados pela entidade, entre os anos de 1975 e 1992, por 03 (três) vezes consecutivas ou 05 (cinco) vezes alternadas”.

“A primeira agremiação esportiva a levantar o troféu foi o SPORT CLUB INTERNACIONAL, após conquistar o Campeonato Brasileiro de futebol de 1975, e o último clube que teve a honra de erguê-lo foi justamente o AUTOR, ao sagrar-se Campeão Brasileiro de futebol no ano de 1992, pela quinta vez alternada. Ao longo dos 18 (dezoito) anos em que a premiação esteve formalmente em disputa, 10 (dez) times levantaram a TAÇA DAS BOLINHAS”, justificou o Flamengo.

“Após conquistar o seu quinto título, de forma alternada (1980, 1982, 1983, 1987 e 1992), da primeira divisão dos Campeonatos Brasileiros de futebol, o AUTOR preencheu os requisitos formais para obter sua posse definitiva, razão pela qual a TAÇA DAS BOLINHAS foi formalmente retirada de disputa pela CBF, sendo substituída, em 1993, pelo conhecido troféu “CAMPEÃO BRASILEIRO”, seguiu o Flamengo em suas justificativas.

Questionou o Flamengo: “Afinal, à luz dos REGULAMENTOS editados pela própria RÉ, o troféu COPA BRASIL estava ou não formalmente em disputa nos Campeonatos Brasileiros de 2006, 2007 e 2008? Poderia a CBF ignorar suas próprias disposições normativas para, em interpretação extensiva, atribuí-lo como premiação aplicável aos referidos torneios, a despeito da expressa vedação normativa”, completando:

“Trata-se, ao fim e ao cabo, de medida que se impõe para resguardar a verdade histórica sobre aquelas competições, e impedir novas e indesejadas distorções – deliberadas ou não, por ) desconhecimento ou má-fé – acerca de uma premiação cuja disputa é cercada de nuances e de polêmicas que infelizmente se perpetuaram no tempo – em especial diante da volatilidade das “informações” na chamada era das fake news”.

Retirado de: Esporte News Mundo

17 COMENTÁRIOS

  1. 691948 99982Not long noticed concerning your internet site and are nonetheless already reading along. I assumed ill leave my initial comment. i do not verify what saying except that Ive enjoyed reading. Good blog. ill be bookmarking maintain visiting this web website actually generally. 710520

  2. 334052 829241Hi. Cool article. There is a dilemma with the web website in firefox, and you might want to test this The browser will be the marketplace leader and a huge portion of folks will miss your superb writing due to this issue. 460706

  3. 816760 902619The planet are truly secret by having temperate garden which are usually beautiful, rrncluding a jungle that is undoubtedly surely profligate featuring so a lot of systems by way of example the game courses, golf approach and in addition private pools. Hotel reviews 363544

  4. 527 631499This design is spectacular! You obviously know how to keep a reader entertained. Between your wit and your videos, I was almost moved to start my own blog (well, almost…HaHa!) Wonderful job. I really enjoyed what you had to say, and more than that, how you presented it. Too cool! 612624

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui