Mario Bittencourt, presidente do Fluminense. (Foto: Lucas Merçon - FFC)

As polêmicas em torno do Campeonato Carioca, Ferj e Fluminense parecem infindáveis. A declaração de Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, no início deste mês, com duras críticas à Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), chegando a usar o termo “Gatoferj” na polêmica sobre a transmissão dos jogos contra o Flamengo na final do Campeonato Carioca, parou na Justiça. O portal Esporte News Mundo teve acesso a detalhes dos casos. O mandatário do Tricolor é alvo de queixa-crime, em ação de Rubens Lopes, presidente da Ferj, e de danos morais, materiais e retratação, por parte da própria federação.

O processo de Rubens Lopes contra Mário Bittencourt corre na 5ª Vara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ). Nele, o presidente da Ferj quer que o mandatário do Fluminense seja condenado aos “crimes de calúnia, difamação e injúria tipificados nos artigos 138, 139 e 140 do Código Penal”. Somadas, as penas podem chegar a três anos e seis meses de detenção, além de multa.

Neste processo criminal, a defesa de Rubens Lopes reitera principalmente as seguintes declarações de Mário Bittencourt: “furto do seu direito de transmitir de forma exclusiva em sua plataforma digital Flu TV”, pois “A FERJ, assim como os que furtam sinais de TV, criou neste episódio a “GATOFERJ”, tentando furtar a transmissão do Fluminense”. Esta ação está sob os cuidados da juíza Paula Fernandes Machado.
– Ademais, é um descalabro, é algo inusitado um cidadão seja lá quem for ou o que for, referir-se a uma entidade com a expressão “GATOFERJ”, merecendo, portanto, por este e outros elementos uma condenação, salvo se presentar qualquer tipo de prova, como não há o que comprovar, merece a reprimenda maior prevista no Código Penal – argumentou em trecho da inicial da queixa-crime o presidente da Ferj.

Já o processo da Ferj contra Mário Bittencourt corre na 24ª Vara Cível do TJRJ. Praticamente com os mesmos argumentos, a Federação diz que:

– A liberdade de expressão e manifestação de pensamento do Réu transgrediu o direito à imagem, honra, nome, boa-fama, reputação, idoneidade, lealdade e dignidade da Autora. O descontentamento do Réu poderia ser expressado de forma diversa, que não atacasse a moral alheia nem lhe ocasionasse danos praticamente irreversíveis. Daí essencial a ponderação entre ambos direitos constitucionais em destaque.

FONTEEsporte News Mundo

10 COMENTÁRIOS

  1. 184489 179509Thanks for some other wonderful post. Exactly where else may possibly just anyone get that type of information in such an ideal indicates of writing? Ive a presentation next week, and Im at the search for such info. 310475

  2. 989386 929147The planet are really secret by having temperate garden which are typically beautiful, rrncluding a jungle that is definitely certainly profligate featuring so several systems by way of example the game courses, golf procedure and in addition private pools. Hotel reviews 527188

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui