Foto: Caio Almeida/La Marca Comunicação

Americano e Artsul se enfrentam às 15h desta quarta-feira (14), no estádio Antônio Ferreira de Medeiros, pela final da Taça Santos Dumont. O mando de campo foi definido em sorteio na última semana. Quem vencer, fica com o título. Em caso de empate, o campeão será conhecido nos pênaltis.

As duas equipes chegam ao jogo decisivo em momentos de evolução. Dono da melhor campanha do 1º turno, o Artsul chega embalado pelos resultados em campo e tem uma vantagem em relação ao adversário: o tempo de preparação para o confronto.

O time de Nova Iguaçu se classificou no dia 5, após vitória contra o Maricá. O intervalo até a final é de nove dias. Já o Americano, se garantiu na briga pelo troféu nesse domingo (11), após bater o Audax. Serão apenas três dias entre um embate e outro.

– Tivemos oito dias de trabalho. Período em que procuramos potencializar nosso jogo naquilo que vemos margem para evolução independente do adversário. Esse tempo foi bom para nós por esse aspecto e também pelo descanso. Mas pensando no ritmo de competição, penso que foi um pouco prejudicial – pontuou o treinador do Artsul, Rogério Pina.

Classificado em 1º no Grupo A, o Tricolor da Dutra chegou às semi precisando empatar em casa com o Maricá. Mas a vaga na decisão foi conquistada com mais um triunfo na competição. Bruno Santos marcou o tento do jogo. Já são seis partidas na disputa, como a única equipe invicta – quatro vitórias e dois empates.

Já o Americano, 2º colocado da mesma chave, precisava ganhar fora do Audax para avançar. E a vitória veio com muito suor e emoção. Aos 51 minutos do segundo tempo, Espinho voltou a decidir e sacramentou o resultado positivo a favor do Alvinegro.

O zagueiro já tinha feito o gol da vitória também nos momentos finais, na última rodada, contra o Gonçalense, levando o Glorioso de Campos ao mata mata.

– Os nossos resultados recentes mostram que nosso time está em uma crescente. Se vínhamos perdendo pontos nos minutos finais, invertemos isso nas duas últimas partidas e vencemos marcando no fim, o que mostra que estamos conseguindo apresentar melhores condições físicas e de jogo – disse Marcelo Buarque, comandante do Americano.

Situações opostas na final

Na decisão pelo troféu da Santos Dumont, as condições são diferentes dos desafios anteriores para Americano e Artsul. Não há vantagem para o dono da melhor campanha.

Em caso de empate, o título será decidido nos pênaltis. E desta vez quem joga com mando de campo é o Alvinegro, questão definida em sorteio na semana anterior.

“Temos uma forma de jogar e acreditamos nela, seja em nossa casa ou na casa do adversário, se adaptando às dificuldades que o jogo nos proporcionar”, comentou Rogério Pina.

O Cano não terá que viajar para o embate, mas chega com a desvantagem de ter jogado no domingo (11), enquanto seu adversário foi a campo no dia 5. Apesar desse fator, Marcelo Buarque vê o time pronto para erguer a Taça:

– A preparação não acontece entre um jogo e outro. Ela é trabalhada em um processo desde o início do planejamento, e vai tendo continuidade no decorrer da disputa. E esse tempo de paralisação também foi bom para nós. Aproveitamos para fazer ajustes durante esse tempo de trabalho e chegarmos em melhores condições nessa sequência – avaliou.

A equipe campista tem os desfalques do goleiro Jonathan, o lateral esquerdo Ronaldinho, os volantes Vinicinho e Dioguinho e o atacante Ramon Costa. O defensor Anderson Penna, que compôs o banco de reservas no jogo anterior, está 100% e fica à disposição de Buarque. Por outro lado, o Artsul chega completo para o desafio.

Intervalo entre semifinais

O período de “recesso” entre as semifinais se deu por conta de um imbróglio judicial envolvendo Americano e Friburguense e a chance de brigar com o Audax pela vaga na final.

No último dia 30, o Tribunal de Justiça Desportiva do Rio de Janeiro (TJD-RJ) absolveu o clube de Nova Friburgo da acusação de suposta escalação irregular do atacante João Manoel, exposta pelo Glorioso de Campos.

+Friburguense aponta erro da Ferj em caso denunciado pelo Americano

Um dia depois, a Federação de Futebol do Rio de Janeiro (Ferj) alterou a tabela, modificando a data da segunda semi para o dia 11. Até então, só o Audax estava garantido na partida decisiva, e aguardava para saber quem enfrentaria.

No dia 5, o TJD-RJ concedeu uma liminar ao Americano, suspendendo o jogo. Três dias depois, o Pleno do mesmo tribunal decidiu acatar a denúncia de escalação irregular em uma partida, punindo o Friburguense com a perda de seis pontos, e consequentemente garantindo o Cano no mata mata.

+Liminar favorável ao Americano suspende semifinal da Taça Santos Dumont

No domingo (11), horas antes do confronto entre Audax e Americano, o Superior Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol (STJD) determinou que a Ferj não faça a homologação dos resultados desta semifinal e da final da Taça Santos Dumont.

A decisão ressaltou ainda a possibilidade jurídica de reversão do caso e da hipótese de remarcação destes compromissos. A situação permanece até julgamento no Pleno do STJD, ainda sem data definida.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui